Rua Apinajés, 1053 - Sala 2 (Perdizes) São Paulo - SP. - Tel: DDD(11) 4324-0343 / 3976-5711

A MAGIA DAS RELIGIÕES

Religião (do latin religio, cognato de religare, " ligar ", "apertar", "atar", com referência à laços que unam o homem à divindade ) é como um conjunto de relações teóricas e práticas estabelecidas entre os homens e uma potência superior, à qual rende culto, individual ou coletivo, por seu caráter divino e sagrado. Assim, religião constitui um corpo organizado de crenças que ultrapassam a realidade da ordem natural e que tem por objeto o sagrado ou sobrenatural, sobre o qual elabora sentimentos pensamentos e ações.

Toda religião pressupõe algumas crenças básicas, como a sobrevivência após a morte, mundo sobrenatural, etc., como fundamento dos ritos que pratica. Essas crenças podem ser de tipo mitológico - relatos simbólicos sobre a origem dos deuses, do mundo ou do próprio povo; ou dogmático - conceitos transmitidos por revelação da divindade, que dá origem à religião revelada e que são recolhidos nas escrituras sagradas em termos simbólicos, mas também conceituais.

Os conceitos fundamentais organizan-se, de modo geral, em um credo ou profissão de fé; as deduções ou explicações de tais conceitos constituem a teologia ou ensinamento de cada religião, que enfoca temas sobre a divindade, suas relações com os homens e os problemas humanos cruciais - a morte, a moral, as relações humanas, etc. Entre as crenças destaca-se, em geral, uma visão esperançosa sobre a salvação definitiva das calamidades presentes, que pode ir desde a mera ausênsia de sofrimento até a incógnita do nirvana ou felicidade plena de um paraíso.
Observa-se em geral , nas diversas religiões, a existência de ministros ou sacerdotes encarregados de celebrar os principais rituais e, em especial, o culto à divindade. Os atos mais importantes desse culto são oferendas e sacrifícios praticados em conjunto com invocações e orações. Com frequência celebram-se os ritos em lugares e épocas considerados sagrados, especialmente dedicados à divindade, e observados com escrúpulosa exatidão através dos tempos.

O terceiro elemento característico de toda religião é o estabelecimento, mais ou menos coercitivo, de normas de conduta do indivíduo ou do grupo no que se refere a Deus, a seus semelhantes e a si mesmo. O primeiro comportamento exigido é a conversão ou mudança para um novo modo de vida. Com relação a Deus, destacam-se as atitudes de veneração, obediência, oração e, em algumas religiões, o amor. Na conduta no âmbito da esfera humana entra em maior ou menor medida, um sistema de normas éticas.

Quase todas as religiões cristalizam-se em algumas instituições dogmáticas (doutrinárias) e culturais ( sacerdócio, hierarquia ). Muitas delas chegam a institucionalizar a conduta, com a criação até mesmo de tribunais de justiça e sanções e a organizar administrativamente as diversas comunidades de crentes e suas propriedades. Essas instituições dão forma e coesão aos crentes como um grupo social - religião, povo, igreja, comunidade; a elas somam-se outras instituições voluntárias do tipo assistencial ou de plena dedicação religiosa, que correspondem a grupos informais dentro do grupo institucionalizado. As instituições consideram imprescindível a forma externa, enquanto que a fé considera o espírito interno como essencial à religião.

As religiões classificam-se em : Primitivas e Superiores; as Religiões Primitivas, caracterizam-se pelo temor aos fenômenos naturais, culto aos antepassados e aos elementos da natureza. Veneração de objetos aos quais atribuem-se poderes sobrenaturais.

As Religiões Superiores, surgiram da necessidade do homem em organizar a sua crença numa base racional, as explicações primitivas da multiplicidade de poderes divinos e do animismo, não eram suficientes para estabelecer uma relação coerente com as múltiplas forças espirituais que povoavam o universo. Surgiram assim as religiões politeístas, panteístas,deístas e monoteístas, expressões das condições sociais e culturais de cada época e das características dos povos em que surgiram.

As religiões politeístas afirmam a existência de vários deuses, aos quais rendem cultos. O politeísmo reflete a experiência humana de um universo no qual se manifestam diversas formas de poder sobre-humano; no entanto, ocorre com frequência uma hierarquia, com um deus supremo que reina e que em geral, pode ser a origem dos demais deuses. Os exemplos de politeísmo foram as religiões grega e romana.

O Panteismo é uma filosofia que, por levar a extremos as noções de absoluto e de infinito, próprias do conceito de Deus, chega a considerá-lo como a única realidade existente e portanto a identificá-lo com o mundo, essa é a base fundamental do budismo.

O Deísmo, é também uma corrente filosófica, que reconhece a existência de Deus enquanto constitui um ser supremo de atributos totalmente indeterminados. Essa doutrina funda-se na religião natural, que nega a revelação; influenciou o período do iluminismo ( Sec XVII - XVIII ), proclamando o culto à deusa razão.

As religiões monoteístas, professam a crença num Deus único, transcendente - distinto e superior ao universo - e pessoal. Uma das grandes dificuldades no monoteísmo é explicar a existência do mal no mundo, o que levou diversas religiões a adotarem um sistema dualista, o maniqueímo, fundado nos princípios supremos do bem e do mal. As principais religiões monotéistas são : O Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo.

Para saber mais, clique no ícone da religião de seu interesse

Regra Áurea das Dez Grandes Religiões do Mundo

Cristianismo
" Tudo quanto queres que os outros façam para ti, faze-o também para eles..."

Confucionismo
" Não faças ao outros aquilo que não queres que eles te façam. "

Budismo
" De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes:
com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber
e sendo tão fiel quanto à sua própria palavra."

Hinduísmo
" Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor."

Islamismo
" Ninguém pode ser um crente até que ame o seu irmão como a si mesmo "

Sikhismo
" Julga aos outros como a ti mesmo julgas. Então participarás do Céu. "

Jainismo
" Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor,
precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos. "

Zoroastrismo
" A Natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos."

Taoísmo
" Considera o lucro do teu vizinho como teu próprio e o seu prejuízo como se também fosse teu. "

Judaísmo
" Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso. "

Assuntos Relacionados

 • HOME • WORKSHOPS • MEDITAÇÃO • GRUPOS DE ESTUDOS • CURSOS • 

DESEJAMOS E OFERECEMOS PAZ AOS POVOS DA TERRA